Conheça as principais armas não-letais e saiba quando elas são usadas

No final do século passado, as potências industriais tinham como objetivo de empregar forças militares em missões de paz sem o intuito de causar grandes danos físicos ou psicológicos. Por isso, nessa época iniciou-se desenvolvimento das chamadas armas não-letais.

Quanto mais a tecnologia se desenvolve, mais o uso de armas não-letais ganha eficiência. No Brasil, o Tenente Wilquerson F. Sandes anunciou que “o Ministério da Justiça lançou o Programa Nacional de Segurança com Cidadania — Pronasci —, que, entre as diversas ações, prevê, a partir de 2008, três milhões de reais para capacitação de 600 policiais em tecnologias não-letais em um período de quatro anos.”

Assim, o trabalho com armas não-letais é um investimento. Por isso, é importante, como afirma o instrutor da Escola Brasil de Segurança, que os profissionais tenham conhecimento e não transformem o equipamento não-letal em letal.

Se você quer saber mais sobre o assunto, acompanhe nosso texto e amplie seu conhecimento!

Descubra o que são armas não-letais

De acordo com o instrutor Leandro Barbosa, “as armas não-letais são instrumentos criados para reduzir a capacidade de um agressor sem causar grandes ferimentos. São usadas para intervir em situações de multidão e conflito que causarão menos danos ao abordado.”

De acordo com a Portaria n° 387/2006 do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos, as empresas de segurança privada poderão dotar seus vigilantes de armas e munições não-letais e outros produtos controlados para uso em efetivo exercício, segundo as atividades de segurança privada exercidas.

Dessa forma, para que o profissional efetue seu trabalho com segurança, é importante cumprir as normas em conformidade com os regulamentos adequados às suas atividades para garantir tanto a proteção do cidadão quanto a própria.

Outro fator relevante é que o profissional deve ser treinado por uma escola credenciada pela Polícia Federal, na qual o aluno terá a seu dispor instrutores renomados e capacitados que ensinarão a utilizar os equipamentos corretamente, acrescenta o instrutor. E só com escolas regularizadas é possível obter o certificado garantido em seu currículo.

Veja por que utilizá-las adequadamente

O ambiente social tem apresentado mudanças e, por isso, é preciso buscar as melhores maneiras de solucionar os conflitos, procurando bons serviços e formas de aprendizagem cada vez mais satisfatórias.

Por isso, Barbosa afirma que conhecer a arma não-letal e a maneira mais correta de utilizá-la é uma característica importante para o profissional de segurança, pois, caso não saiba como administrá-la, poderá aumentar os danos em vez de minimizá-los.

As armas não-letais proporcionam uma nova visão sobre as operações de segurança, pois, além de não causar danos físicos, podem auxiliar o profissional a ter um controle maior sobre suas estratégias, desenvolvendo seu olhar técnico e tático, como:

  • uso consciente da força;
  • possibilidades de estratégias;
  • como lidar com a resistência;
  • legalidade;
  • conveniência.

Conheça as principais armas não-letais utilizadas

Existe uma diversidade de equipamentos e cada um deve ser usado de acordo com a sua necessidade e contexto. De acordo com a Tenente Ana L. B. de Oliveira, as armas não-letais podem ser classificadas como:

  • acústicas: trabalham com sistemas sofisticados de infrassom ou atordoamento;
  • biológicas: possuem substâncias químicas que afetam o ser humano ou degradam materiais;
  • químicas: substâncias químicas que podem colar, corroer, tornam superfícies escorregadias ou alteram a queima de combustível;
  • eletromagnéticas: causam curto-circuito em sistemas elétricos, criam onda de choque em determinado alvo, micro-ondas de raio pulsante ou atordoador elétrico;
  • informação: vírus de computador que causam panes em sistemas;
  • cinética: atingem o alvo com um risco menor de lesão, como redes, malhas ou balas.

Veja mais abaixo, detalhadamente, algumas armas e casos de uso.

Balas de borracha

Surgiu nos anos de 1980, com o desenvolvimento de materiais sintéticos mais resistentes, como policarbonato e kevlar, e são classificadas como projéteis de impacto cinético (PIC). A bala de borracha é semelhante à bala normal, porém tem uma ponta de borracha, o que faz com que ela não perfure tão facilmente seu alvo.

Apesar de ser classificada como arma não-letal, é recomendável que os tiros sejam disparados nos membros inferiores, em direção às pernas ou aos pés, distante de partes fatais do corpo como garganta.

Essas balas são usadas para conter manifestações ou rebeliões. Sendo assim, a distância segura para o seu disparo é de 20 metros. Esse é um armamento que exige responsabilidade e habilidade de quem o manuseia.

Gás lacrimogêneo

As munições que contêm gases são as primeiras a serem usadas em casos de contenção, pois elas impedem que as pessoas avancem. As bombas de gás lacrimogênio, por exemplo, são constituídas por 2-clorobenzilideno malononitrilo, o chamado gás CS, que é comprimido até uma temperatura que passa a impressão de inflamado quando solto ao ar livre e exala um odor muito forte.

O gás lacrimogêneo é uma bomba de efeito moral e traz consequências como uma forte irritação nos olhos, nas vias aéreas, na pele. Porém ele raramente causa danos extremos. Esse gás pode ter um alcance de até 150 metros e trazer efeitos psicológicos, como desorientação e pânico, sendo que essas sequelas podem durar de 20 a 45 minutos.

O agente de segurança que trabalhar com esse gás deve ter conhecimento de alguns pré-requisitos para administrá-lo, como:

  • afastar-se do local onde o gás está sendo usado;
  • usar máscara;
  • usar roupas adequadas;
  • usar óculos especiais para não ser atingido nos olhos.

Spray de pimenta

Surgiu nos anos de 1990 e é composto por um gás chamado Oleoresina Capsicum, que é um derivado de um gênero de pimentas. Essa substância gera uma grande irritação nas vias respiratórias e, principalmente, nos olhos, causando, inclusive, cegueira temporária, queimação na pele, nos olhos, boca e garganta.

O spray é usado como arma de defesa pessoal ou para deter algum fugitivo. No Reino Unido, essa arma é considerada ofensiva e sua venda é ilegal. Na Finlândia, é necessário licença para sua utilização e, na Austrália, nem mesmo a polícia pode obtê-la.

No Brasil, o Regulamento para a Fiscalização de Produtos Controlados (R-105) do Exército, art. 238, classifica como “agente químico de guerra” qualquer substância que seja própria para o uso militar e apresente efeitos permanentes ou provisórios aos seres humanos ou animais.

O spray de pimenta apresenta essas características. Por isso, sua compra precisa ser autorizada pela secretaria de Segurança Pública e as lojas devem manter o cadastro daqueles que obtiverem o produto.

Taser

Essa é uma arma de eletrochoque que surgiu nos anos de 1990 e pode ser altamente eficaz em abordagens rápidas que visam paralisar seu opoente. Porém requer um bom treinamento para seu uso. O taser é semelhante a uma arma de fogo comum, todavia sua munição é diferente.

Dessa arma são lançados dardos com uma descarga elétrica de alta-tensão em direção ao alvo e penetram em torno de 2,5 cm na pele, com cargas que podem chegar a 50 mil volts. Isso imobiliza a vítima de forma instantânea. Sua grande vantagem é que pode ser usado à distância.

Bastão de choque

É um aparelho que pode emitir descargas de até 50 mil volts. A intenção ao usar essa arma é paralisar o agressor. É umas das armas mais comuns, pois é só encostar no alvo para provocar o choque. Essa é a única das armas das listadas neste artigo que não tem o uso controlado no Brasil.

É importante destacar que, apesar de parecer inofensiva, seu uso pode acarretar grandes problemas caso o alvo esteja sob efeito de alguma substância ou apresente algum problema cardíaco.

Entenda a importância de uma escola de segurança

Em relação às armas não-letais, é importante não apenas saber manuseá-las de forma segura, como também conhecer as formas de socorro que podem implicar o seu uso por meio de um curso profissionalizante.

É nesse contexto que se encaixa uma escola de segurança, pois o treinamento permitirá que você adquira habilidades e conhecimentos para atuar nesse processo. É um investimento em uma área cuja demanda sobressai cada vez mais em nossa sociedade.

O instrutor Leandro Barbosa ressalta que a EBSeg está preparada para ensinar os alunos a manusear e a empregar os equipamentos não-letais. A Escola Brasil de Segurança conta com profissionais altamente capacitados, treinados para ensinar e utilizar os equipamentos de forma segura e competente.

Se você gostou de nosso artigo e deseja aprender mais sobre armas não-letais entre em contato conosco, estamos à disposição para ajudá-lo. Entre em contato conosco!

Sem Comentários