Gestão de segurança privada: o que é e como ingressar na área?

O mercado de segurança privada está em constante ampliação e oferece oportunidades para todos aqueles que querem investir nesse segmento para alavancar sua carreira. Por isso, um dos melhores caminhos para crescer na profissão é o estudo e a atualização constante. Para os profissionais que já atuam na área, o curso tecnólogo em gestão de segurança privada é uma excelente alternativa para a consolidação da carreira.

A profissionalização é cada vez mais necessária e valorizada no segmento, já que a segurança privada envolve diversas práticas e técnicas que precisam constantemente de aperfeiçoamento. Afinal, os profissionais que atuam no setor são os responsáveis pela proteção de patrimônios e também pela preservação da vida humana.

Neste post, vamos apresentar a você tudo o que é necessário saber sobre gestão de segurança privada. Acompanhe!

Mas, afinal, o que é gestão de segurança privada?

A gestão de segurança privada é uma área que envolve a avaliação, o monitoramento, o planejamento e a revisão dos processos de segurança em uma organização, focando sempre no alcance de melhorias contínuas em prol da segurança do patrimônio do negócio. Resumidamente, esse sistema tem por objetivo o aperfeiçoamento dos processos de segurança.

Nesse cenário, um plano de segurança privada pode incluir a contratação de vigilantes, o uso de dispositivos eletrônicos, cães, veículos, monitoramento eletrônico e outros recursos que protejam e assegurem a integridade do patrimônio de uma organização.

Para os profissionais de segurança prestarem serviços na área, eles precisam, necessariamente, estar habilitados e relacionados a uma empresa de vigilância que esteja autorizada pela Polícia Federal (PF) para exercer a atividade.

O que faz um gestor de segurança privada?

Durante a graduação, o profissional tecnólogo especializado em gestão de segurança privada é preparado para identificar e avaliar ameaças à segurança de patrimônio e pessoas e aprende técnicas para definir diretrizes de prevenção.

Assim, o profissional de gestão de segurança privada planeja, opera e controla tudo o que se relaciona à proteção de empresas e pessoas. Seu campo de atuação está nas empresas de segurança, indústrias, empresas de transportes de valores e de escolta armada, centros comerciais e organizações em geral. Também pode atuar em transportadoras que fazem uso, principalmente, do transporte rodoviário.

Qual é o perfil do gestor de segurança privada?

Esse é um profissional que se caracteriza pela formação especializada na área de tecnólogo, com conhecimentos e habilidades específicas para a área de segurança privada. Sua jornada de aperfeiçoamento pode envolver uma pós-graduação. Do profissional, é esperado um alto nível de controle emocional, além de capacidade analítica e de criação estratégica.

Como é o mercado de trabalho?

O mercado de gestão de segurança privada tem grande potencial, tendo em vista os elevados índices de violência e da dificuldade do governo de oferecer segurança à população. Diante dessa realidade, o setor de segurança privada tende a crescer, ocupando essa lacuna que o serviço público não consegue resolver, o que gera uma grande demanda por profissionais de segurança.

Nesse cenário, a segurança privada é a responsável pelo maior número de contratações do ramo no país. No entanto, o transporte de cargas também é um segmento promissor para a área de segurança.

Cargas valiosas requerem cada vez mais a atenção dos empresários, e o uso de novas tecnologias, a exemplo dos chips colocados nas cargas para que elas possam ser rastreadas, fazem parte dessa realidade. A região do país que mais demanda esse tipo de serviço é a Sudeste, haja vista que ela é a mais industrializada e tem grande concentração de pessoas.

Onde um gestor de segurança privada pode atuar?

O mercado de segurança privada tem um grande leque de atuação. Acompanhe.

Segurança patrimonial

Responsável por prevenir assaltos, furtos, roubos e outros tipos de ações violentas contra o patrimônio de uma instituição, seja ela pública ou privada. O gestor de segurança privada vai atuar na coordenação de atividades de vigilância ostensiva, definindo o controle de acesso a áreas monitoradas.

Segurança empresarial

Atua no planejamento e na supervisão da segurança para empresas, definindo quais equipamentos e que tipo de profissionais serão necessários para essa função.

Segurança privada

Concentra suas atividades na segurança de imóveis privados e residências para evitar riscos à integridade patrimonial. Zela pela segurança de empresários e seus parentes, planejando a estratégia que deve prevenir assaltos e sequestros.

Perícia

É responsável pela realização de perícias, avaliação e emissão de laudos em situações que envolvem segurança.

Como ingressar na área de segurança privada?

Existem muitas formas de ingressar na carreira de segurança privada, dentre elas os cursos de vigilante, transporte de valoresescolta armada, segurança pessoal privada e segurança em grandes eventos. Para fazer esses cursos, é necessário ter concluído a 4 ª série do ensino fundamental e ser maior de 21 anos.

Ainda que o setor de segurança privada admita profissionais com diferentes formações, o gestor de segurança privada é preparado para identificar e analisar riscos de segurança e definir diretrizes de prevenção.

Qual a importância de se manter capacitado?

Antes, o serviço de segurança era visto apenas como um trabalho operacional. No entanto, com o aumento da criminalidade no Brasil, evidenciou-se a importância de contar com profissionais capacitados para lidar com eventos de risco. Por isso, manter-se atualizado é fundamental para garantir sua participação no mercado.

No curso de gestão de segurança privada, o aluno aprende conteúdos específicos e voltados para a atuação profissional. O curso é tecnólogo e o tempo de graduação pode variar de dois a três anos, dependendo da instituição de ensino. O aluno tem contato com matérias como gerenciamento de risco, aspectos gerais de armamentos, noções de legislação, ética e primeiros socorros.

A grade curricular ainda abrange administração, direitos trabalhistas, contabilidade, economia e direitos humanos. Entre os conteúdos de formação específica estão investigação, criminalística, prevenção de incêndios, e gerenciamento de crises.

Algumas escolas de gestão de segurança privada exigem do aluno um trabalho de conclusão de curso e estágio profissional no último semestre, sendo o cumprimento desses itens indispensável para finalizar o processo de formação.

E aí, gostou deste artigo sobre gestão de segurança privada? Se sim, confira também nosso post sobre as maiores empresas de segurança do Brasil.

Sem Comentários