Quer parar de viver de bico? Conheça o mercado para vigilantes!

Fazer alguns “bicos” pode até ajudar na renda, mas viver apenas disso não garante a estabilidade de um emprego nem o salário realmente necessário, não é mesmo? Por isso, você precisa conhecer o mercado para vigilantes.

Essa é uma boa oportunidade para quem está desempregado. Com o curso de formação de vigilantes, além de conseguir melhores condições de emprego, você pode construir sua carreira na área de segurança.

A profissão apresenta boas expectativas no mercado de trabalho e a formação é rápida e com baixo custo. Conheça a carreira, o mercado, o curso e tudo que você precisa saber para se tornar um vigilante!

Como é o mercado para vigilantes?

Um vigilante tem muitas oportunidades de emprego e pode contar sempre com a alta demanda pelo profissional. Veja a seguir como é o mercado de trabalho.

Expectativas no mercado

A violência é uma das principais preocupações da população. Os altos índices de criminalidade levam muitas empresas a darem mais atenção à segurança das pessoas e do seu patrimônio.

Além das ocorrências de crimes, furtos ou roubos, os vigilantes são necessários também para defender e garantir a integridade física da população em diversos casos de perigo ou ameaça, como em situações de vandalismo.

Diante desse contexto, cresce a procura por vigilantes e seguranças. E o mercado permanece sempre aquecido nessa área, já que a vigilância é constantemente requisitada por empresas, órgãos públicos e demais instituições.

Áreas de atuação

Além de prevenir os riscos e a criminalidade, os vigilantes também podem realizar atendimento em portarias, atuar no controle de entrada e saída de pessoas e veículos em estabelecimentos, fazer rondas e patrulhas locais, revistar pessoas, emitir relatórios, dentre outras atividades.

Por isso, o campo de atuação para vigilantes é muito amplo e variado. O profissional pode atuar tanto no setor público quanto no privado. Com o mercado em alta, o setor privado apresenta um grande leque de oportunidades para o profissional. Veja algumas das áreas em que se pode trabalhar:

  • empresas;
  • instituições de ensino;
  • shopping centers;
  • eventos;
  • bancos;
  • farmácias;
  • hospitais;
  • creches;
  • comércios;
  • hotéis;
  • supermercados;
  • condomínios residenciais.

Salário

A média do salário de vigilantes é estimada em R$1.200 por mês, considerando o valor bruto. O valor da remuneração pode variar de acordo com o porte da empresa e o piso salarial depende de cada estado. Em Minas Gerais, o piso salarial da categoria é de R$1.602,86 para jornada mensal de 220 horas, segundo o Sindicato de Vigilantes

O vigilante também recebe adicionais de periculosidade correspondente a 30% sobre o salário, visto que o profissional desta categoria está sujeito a alguns riscos. Nesse caso, o salário do vigilante patrimonial ou segurança pessoal de Minas Gerais aumenta para R$ 2.083,72.

Para os vigilantes que trabalham no turno da noite (das 22h às 5h), é acrescentado o adicional noturno de 20%.

O profissional ainda tem direito aos demais benefícios previstos na legislação trabalhista e nas convenções coletivas, como vale-refeição e plano de saúde, por exemplo.

Jornada de trabalho

A carga horária de trabalho dos vigilantes pode ser de 30 ou 40 horas semanais, podendo ocorrer exceções que chegam a 44 horas semanais.

Esses profissionais também costumam trabalhar em regime de escala, com uma jornada com turnos de 12 x 36 horas, sendo 12 horas de trabalho e 36 de descanso.

Com isso, o vigilante tem a possibilidade de conseguir dois empregos, aumentando a renda e, consequentemente, melhorando suas condições financeiras.

Também é possível fazer outros cursos paralelamente ao trabalho fixo. Isso permite ao profissional se especializar nos demais cursos da área de segurança, melhorando sua formação para, assim, construir sua carreira.

O que é preciso para se tornar vigilante?

Você precisa realizar um curso e ter o perfil adequado para exercer o cargo de vigilante.

Formação

Um vigilante é um profissional capacitado para executar atividades de segurança privada de pessoas e de patrimônio. Para ingressar nessa carreira, você deve fazer o curso de formação de vigilantes. Os pré-requisitos são: ser brasileiro, ter no mínimo 21 anos de idade e ter, pelo menos, a 4ª série do ensino fundamental.

A carga horária da formação básica é de 200 horas, e você pode realizar em menos de um mês em regime de horário intensivo. Ou seja, o curso é de curta duração e garante rápido ingresso no mercado de trabalho. Ele ainda conta com a vantagem de ter baixo custo de investimento. Os valores são bastante acessíveis: em torno de R$ 600.

Com a formação, o profissional estará capacitado a exercer a função e as atividades básicas de vigilância. Ele vai aprender técnicas, habilidades e as posturas corretas para garantir a integridade física das pessoas e do patrimônio. O treinamento no curso também garantirá o preparo adequado para proteger a si mesmo, evitando riscos contra sua própria segurança.

São ministradas disciplinas como noções de segurança privada, primeiros socorros, direitos humanos, defesa pessoal, prevenção e combate a incêndios, armamento e tiro etc.

O curso de formação de vigilantes é essencial para dar seguimento na carreira de segurança, pois ele é pré-requisito para os cursos de extensão, que podem ser feitos posteriormente. Assim, você pode se especializar, por exemplo, com cursos de escolta armada, transporte de valores, segurança pessoal privada e segurança de grandes eventos.

Perfil

Para exercer a profissão de vigilante, não basta apenas a formação. É preciso também ter o perfil para a atividade, para que a função seja exercida de modo seguro.

A rotina de trabalho desse profissional é repleta de responsabilidades. Ele deve garantir a proteção e a segurança das pessoas e, para isso, precisa manter um estado constante de alerta e atenção.

Em muitos casos, os vigilantes fazem uso de armas de fogo. Portanto, também é preciso ter autocontrole, além de ser calmo e equilibrado para saber lidar com situações de pressão.

Além disso, o vigilante precisa ser discreto e manter o sigilo de informações sobre segurança e locais de acesso restrito. Por isso, honestidade e idoneidade também são fundamentais. Inclusive, para atuar na profissão, a idoneidade deve ser comprovada: o profissional não pode ter antecedentes criminais e deve estar em dia com as obrigações militares e eleitorais.

Outras características também devem compor o perfil de um bom vigilante, como disciplina, cordialidade, saber trabalhar em equipe, postura séria e correta, capacidade de transmitir confiança e boa apresentação pessoal. Em resumo, o vigilante deve garantir seriedade e integridade pessoal e profissional.

Vale ressaltar que o curso de formação tem validade de dois anos e, após esse período, é exigida a reciclagem profissional. Assim, você pode se manter qualificado para o mercado de trabalho e atualizado para construir sua carreira na área de segurança.

Agora que você já conhece o mercado para vigilantes, conheça também outros cursos para ingressar rapidamente no mercado de trabalho!

Sem Comentários