4 boas práticas em segurança para empresas

Uma empresa não pode viver sem segurança nos dias de hoje. Esse é um tema indispensável em qualquer instituição, pois afeta diretamente todos que trabalham na companhia, desde o diretor até o estagiário. A proteção de patrimônio está sendo levada a sério no Brasil e muitas empresas estão investindo pesado para garantir um pouco de segurança.

Mas qual é a melhor solução de segurança para empresas? Pois é, o conceito de segurança varia de acordo com a instituição e pode ser muito amplo.

Contudo, apesar disso, existem algumas medidas comuns que devem ser seguidas pois trarão uma maior tranquilidade e resultados satisfatórios. Um futuro segurança precisa conhecer as práticas mais comuns em segurança para empresas. Confira 4 delas a seguir!

Faça uma avaliação de riscos

Essa não se encaixa bem como uma prática, mas é de extrema importância. Primeiramente, é necessário realizar uma avaliação de riscos. O que seria isso? Antes de pensar em um plano de segurança patrimonial, é preciso fazer um estudo de caso e avaliar todas as necessidades da empresa em questão.

Por se tratar de um assunto tão importante, tudo precisa ser avaliado nesse estudo, como riscos, vulnerabilidade, espaço real do ambiente, números de funcionários, bairro onde fica a empresa e até possíveis brechas de segurança.

Essas informações são essenciais. Cada problema apresentado precisa de uma resposta rápida e satisfatória. É assim que inicia-se a montagem de um plano de segurança patrimonial eficiente.

Confira práticas que não podem faltar

Com o plano de estudo pronto, chegou a hora de elaborar seu plano de segurança. Vale lembrar que cada empresa tem a sua necessidade, por isso, algumas práticas podem não servir para um perfil de organização. Pensando nisso, nós selecionamos quatro medidas mais comuns de segurança para empresas:

1. Adotar a identificação

É uma obrigatoriedade que precisa ser levada à risca por algumas empresas. A identificação dos seus funcionários é importante para qualquer plano de segurança. O ideal é já montar um cadastro para o acesso facilitado de fornecedores ou, até mesmo, de prestadores de serviço.

Para os funcionários, a obrigatoriedade do crachá já resolve esse tipo de entrave. Essa medida simples pode evitar problemas futuros, como a entrada de gente indevida e até possíveis roubos. A maneira escolhida para identificar as pessoas na empresa precisa ser avaliada de acordo com o perfil e a necessidade da própria companhia.

O novo profissional de segurança precisa seguir à risca todas as normas de identificação da empresa, abordando todas as pessoas que querem ter acesso à instituição.

2. Controlar o acesso

É uma das práticas mais importantes em se tratando de segurança em empresas. Você precisa ter controle de todas as pessoas que transitam dentro da instituição — por isso, a importância de ter um registro total do acesso das pessoas. Isso pode ser feito por meio de um cadastro e do uso de credenciais para a entrada em cada ambiente da empresa. O controle de acesso é essencial para manter a segurança de uma instituição.

O serviço da portaria acaba ganhando importância nessa prática, já que é o primeiro contato do visitante com a empresa.

3. Utilizar uma equipe qualificada e equipamentos de ponta

Para montar um planejamento de segurança adequado, você precisa também contar com uma base sólida, como uma mão de obra qualificada e os melhores equipamentos de vigilância. O investimento em tecnologia é essencial para cobrir toda a área da instituição, obtendo uma garantia de segurança. Câmeras de vigilância, cerca elétrica e até o botão de pânico são algumas medidas cabíveis para fortalecer o sistema.

No caso das câmeras, o interessante é oferecer equipamentos com infravermelho, facilitando na vigilância no período da noite. O botão de pânico e a cerca elétrica auxiliam o vigilante no controle da área vigiada, avisando quando há alguma coisa errada ou, até mesmo, alertando sobre uma possível invasão.

Também é preciso oferecer uma mão de obra qualificada. Invista em vigilantes treinados e capacitados para realizarem um bom trabalho. Eles precisam estar preparados para enfrentar qualquer tipo de situação envolvendo a segurança do local.

Para estar apto ao serviço, o futuro vigilante precisa obter o registro da profissão junto a Polícia Federal, e este só é possível ao profissional que realiza o curso de formação básica de vigilante e é aprovado em uma instituição qualificada e autorizada pela Polícia Federal.

4. Usar a tecnologia a seu favor

A tecnologia chegou para mudar o nosso mundo. Hoje, é muito difícil oferecer um serviço sem utilizá-la. Por exemplo: você consegue imaginar um mundo sem WhatsApp? Não é de hoje que muitos empresários utilizam o aplicativo para conversar com clientes, passar informações e até fechar negócios.

A tecnologia, no entanto, não se limita apenas ao WhatsApp. Na área de segurança, já é uma grande aliada. Por meio de equipamentos e aparelhos de última geração, a equipe de segurança consegue fazer uma melhor cobertura da área vigiada e garante mais qualidade ao serviço prestado.

Uma das novidades nessa área é a portaria remota, que oferece um serviço totalmente on-line e digital, e garante maior economia para a empresa, pois não demanda funcionários de segurança na portaria. O monitoramento é feito a distância por uma equipe especializada, e a identificação é realizada por câmeras instaladas no local. Esse tipo de serviço está sendo bem procurado, principalmente por condomínios comerciais.

Outro recurso muito utilizado pelas empresas é a identificação por biometria. Por meio da digital, funcionários e terceirizados conseguem acessar qualquer área da companhia. Basta pressionar seu dedo na placa de identificação, e seu acesso será liberado.

A biometria já é uma tendência aqui no Brasil. O novo segurança precisa estar ciente da atual realidade do mercado e capacitar-se com o intuito de oferecer o melhor serviço para a empresa contratante.

Escolha a escola ideal

Agora que você conhece algumas boas práticas de segurança para empresas e deseja trabalhar na área, aqui vai mais uma dica: busque a melhor qualificação para se tornar o melhor profissional de segurança. A escola escolhida tem que oferecer ao aluno a melhor forma de aprendizado, sempre focando no cargo desejado.

Gostou do nosso post? Quer ter acesso a mais conteúdos como este? Então curta nossa página no Facebook e acompanhe nossas publicações!

1 Comentário

  1. Juliana Pereira

    Justo o que eu procurava sobre plaqueta de identificação. Obrigada!